Quinta-feira
21 de Novembro de 2019 - 

Controle de Processos

Insira seu usuário e senha para acesso ao software jurídico

Notícias

Newsletter

Webmail

Clique no botão abaixo para ser direcionado para nosso ambiente de webmail.

EJUS inicia atividades do Núcleo de Estudos em Direito Processual Civil

Marco Aurélio Scampini foi o expositor convidado.           Com debate sobre o tema “Tutelas provisórias de urgência", foi realizada ontem (16) a reunião inaugural do 1º Núcleo de Estudos em Direito Processual Civil da Escola Judicial dos Servidores (EJUS). Composto por assistentes jurídicos e assistentes judiciários da Capital, o núcleo terá encontros mensais na sede da Escola até setembro de 2020. O debate inaugural teve como expositor o advogado e ex-assistente jurídico Marco Aurélio Scampini Siqueira Rangel e contou com a participação dos coordenadores do núcleo, o assistente judiciário Luiz Eduardo Alves de Siqueira, o coordenador da EJUS1, Walter Salles Mendes, e o chefe de seção judiciário da EJUS 1.2, Miguel da Costa Santos.         Na abertura dos trabalhos, Luiz Eduardo de Siqueira ressaltou que o objetivo é fomentar o debate com base em visões atualizadas da processualística civil brasileira, fundamental à prestação jurisdicional. “A importância dos encontros, que serão mensais, atende à dupla finalidade: atualização e diálogo, elementos que, em razão da rotina diária de trabalho, nem sempre podem ocorrer de forma fecunda”, complementou.         Marco Aurélio Siqueira Rangel discorreu sobre os principais aspectos relativos à estabilização da tutela em caráter antecedente e à antecipação da tutela recursal e apresentou estudos de casos. “A ideia é provocar a discussão, o raciocínio crítico e apresentar um instrumental para enfrentar problemas complexos do novo instituto da tutela, para os quais o Código de Processo Civil não apresenta solução expressa”, definiu.         O assistente jurídico Christiano Augusto Coccia realçou a iniciativa do evento por agregar conhecimento teórico e prático à atuação forense. “A proposta deve perdurar e se expandir para todo o Tribunal”, ponderou.                    imprensatj@tjsp.jus.br
18/10/2019 (00:00)
© 2019 Todos os direitos reservados - Certificado e desenvolvido pelo PROMAD - Programa Nacional de Modernização da Advocacia
Pressione as teclas CTRL + D para adicionar aos favoritos.